domingo, 30 de dezembro de 2007

FRAGILIDADE

olhos negros como a própria escuridão.
seria essa a causa de tanta cegueira?
amo o amor,
e este, por sua vez, me despreza.
oh, amor!... por que me destratas assim?
olhos fechados para dentro de mim...
o momento da descoberta não tardará
e se a resposta não vier, continuarei na escuridão.
tudo cansa...

2 comentários:

  1. Fábio Mráz1/1/08 21:14

    Desculpe-me mas não resisti a postar um comentário. Estava passeando e me deparei com teu blog.
    Muito bonitas tuas poesias.
    Se me permite vou continuar a lê-las e voltarei, com certeza. Parabéns pelo teu talento!
    Abraços
    Fábio

    ResponderExcluir
  2. Acho que foi a primeira vez que você leu meu blog, Fá. Que legal! Espero que não tenha parado desde então.
    Beijo.

    ResponderExcluir